quinta-feira, 21 de junho de 2007

Mobilidade, transnacionalidade

Como se pode verificar estamos perante situações de grande mobilidade, ligadas certamente a um processo de globalização e a uma capacidade financeira acima da média na maior parte dos casos. Veja-se que para Adriana, um mau dia de trabalho corresponde a três clientes, tal significa por sua vez um valor na ordem dos 150€. Cheguei a constatar que num dia atendeu 12 clientes, façam-se as contas.

The globalization of production and consuption, or the heightened mobility of people, goods, ideas and capital, also creates transnational communities and generates a demand for the skills and out-looks these communities offer (Levit2001:22).

Tal reflecte igualmente uma certa ambivalência nas relações entre colegas travestis, malgré le contexte de compétition propre au milieu, les marques de solidarité font aussi partie des relations entre postituées (Loise2006:56). Na verdade, quando se deslocam em território português, fazem-no para apartamentos de colegas, já em Espanha a situação mostra-se ligeiramente diferente, visto que funciona com o que chamam de pisos, andares em que existe alguém que fica com 50% dos ganhos auferidos pelas prostitutas travesti. No entanto, algo se mantém mesmo nesta situação, quem as chama e convence a ir para Espanha ou outro país, são geralmente amigas, apesar da rivalidade visível nas suas relações.

Neste panorama de mobilidade, tal como Loise afirma, de fait, je n`ai durant mon terrain, jamais eu la sensation de me trouver eu face de personnes totalement victims ou dépourvues de ressources face à l`adversité et ceci malgré des conditions de travail souvent três pénibles (Idem:39).

(…) eu estou dentro da minha casa, faço o que tenho que fazer dentro da minha casa, bem…o que eu faço? Eu vendo o meu corpo…trabalho com isso, dá dinheiro e eu gosto, quer dizer…uni o útil ao agradável (…) (Entrevista a Adriana:18).

Esta mobilidade, inserida em processos migratórios não se inicia na Europa, começa desde logo no Brasil:

La parcours de Cynthia ilustre bien ce processus migratoire (…) elle entreprit alors une première migration à S. Paulo (…) c`est allors qu`elle rencontra des personnes qui lui proposèrent l`aider à réaliser le voyager jusqu`en europe (Loise2006:40).

Quando cheguei em S.Paulo, depois de fugir de casa de carona, fazer sete programas no caminho; procurar casa de cafetina (…) quando eu cheguei em frente ao prédio dela, eu olhei para o céu e pensei: “Pronto, agora eu sou dona do meu nariz! Agora eu sou adulta! (Pelúcio2006:527).
A vinda para a Europa parte de conversas com amigas, que lhes propõem ajuda financeira, que será mais ou menos onerosa consoante o grau de amizade e até o poder negocial de quem necessita do dinheiro. Adriana depois de estar em Portugal, acabou por “ajudar” outras na situação em que há uns anos atrás, ela se encontrava e é taxativamente assim que vêem o trazer alguém para a Europa, como uma ajuda, Cynthia (…) de plus, dans sa vision des choses, elle souhaitait le faire “para ajudar” (pour aider) une autre personne, pour lui faciliter les choses comme elle l`avait fait pour sa cousine Alexa, arrivée en Suisse à moindre frais qu`elle – même (Loise2006:37). Nem todos os casos são tão justos quanto estes parecem ser, por exemplo Paula, a travesti que conheci em Lisboa que trabalhava no mesmo apartamento que Adriana ficou a dever bem mais do que aquilo que efectivamente tinha pago para vir para Portugal, vim devendo 8000€ (Entrevista a Paula:11).

2 comentários:

MariaMar disse...

Agradam-me estas tuas passagens de gente com kem nos cruzamos e de quem nada sabemos.
Agrada-me porque me vejo a querer sabê-las tambem.
Ensina-mas melhor.

sapiens disse...

Bem verdade. um esforçado trabalho de terreno que trouxe á luz do dia realidades desconhecidas para a grande maioria de nós.