quarta-feira, 13 de junho de 2007

Bombação/aplicação de silicone

Nunca assisti a uma aplicação de silicone, não por não o poder fazer, creio que se o tivesse desejado, teria conseguido, mas devo confessar que não fazia muito gosto nisso. No entanto mantive inúmeras conversas sobre o tema, no início Adriana evitava falar no assunto, pelo menos com profundidade, mas com o tempo foi-se soltando também nesse aspecto. Existem dois tipos de silicone no que à sua espessura diz respeito, Adriana revelou-me que o mais fino é melhor para realizar as aplicações, em quaisquer dos casos manda-os vir do Brasil ou de Espanha. Adriana aprendeu a realizar estas operações através da observação de um médico cirurgião no Brasil.


Durante o tempo em que decorreram as observações, realizou pelo menos duas aplicações, uma a Solange e outra à dead one, é um trabalho delicado e minucioso que exige muita precisão no manejo da seringa, pode durar horas. Adriana, no caso de Solange informou-me que passou seis horas seguidas a trabalhar. O silicone, apesar de viscoso, como julgo ser do conhecimento geral, acaba por ser líquido, senão não poderia ser injectado, o que após a sua aplicação exige da parte das infiltradas um repouso absoluto, nem para urinar elas se devem levantar, devem ter um recipiente ao seu lado, que permita que o façam sem se locomoverem em demasia. Se esta regra de recuperação não for respeitada, pode acontecer que sendo líquido, ele alastre para outras partes do corpo, antes de ter solidificado. Por exemplo, se tiverem sido injectadas na bunda terão que passar cerca de três a quatro dias deitadas de barriga para baixo, se for no peito, não se poderão deitar, a posição aconselhável será a de sentadas com as costas encostadas à cabeceira da cama durante esses mesmos três a quatro dias.
O que verdadeiramente me chocou um pouco neste aspecto da "bombação" foi a questão das seringas e das agulhas, o facto de nas aplicações serem utilzadas agulhas de uso veterinário, ou seja, para uso em animais (lógico que por serem aplicações clandestinas). Mais tarde visualizei, tanto o silicone, como as próprias agulhas.
O valor pecuniário a cobrar por cada litro de silicone aplicado, oscila entre os 250 e os 300€, com a compra do material necessário realizada à parte.

4 comentários:

RB disse...

Estas histórias são impressionantes e revelam-me uma realidade para a qual nunca estive muito atento. Mas, pergunto eu, quantas dessas operações clandestinas acabam por correr mal? E, sendo esse um problema da dimensão com que este blog lhe dá, porque motivo é que as autoridades não disponibilizam essas cirurgias num estabelecimento de serviço público, a um preço reduzido, sem a margem de lucro dos grandes cirurgiões plásticos?

Anónimo disse...

Peço desculpa por esta intromissão...Mas,alguém sabe quais foram as perguntas seleccionadas pela Prof. de Urbana?
E Métodos, será com consulta?

Obrigado...

PACH

Moura ao Luar disse...

Já entregaste?? Beijo

bela lugosi`s dead disse...

não tens que pedir desculpa pela intromissão, se soubesse ajudar-te-ia de bom grado, mas a questão é que não sei nada sobre isso:(