quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Geração Bumerangue!




"Tens mais de 18 anos? ideias progressivas? imaginação? espírito de iniciativa? uma forma diferente de fazer as coisas? vontade de construir alguma coisa? vontade de mudar alguma coisa?

então fica aí sentadinho e não te mexas. xiiiu, caladinho que ninguém quer novidades.
não vende. é muito complicado. mais do mesmo oh sim! mais do mesmo! mais do mesmo!
e tu? tu não penses, compra merda, come relva, come gajas, come bifes que o primeiro arroto é oferta. viva a fotocópia! viva o caroço! vive o momento! até já!"

In http://hridaya.blogspot.com/

9 comentários:

Henrik disse...

Estamos num toma lá dá cá?...ora bem, por experiência própria - que a dos outros a eles pertence - tento não demonstrar a irritação que alguns seres me provocam, pois esse é por vezes o seu único objectivo e não se aprende nada com quem somente quer dizer disparates e fazer-se um intelectual de primeiríssima água. A primeira lição que aprendi na faculdade foi-me dada por António Franco Alexandre (o poeta) disse-me: «quando tiveres que discutir fá-lo com alguém inteligente, não discutas por discutir» ainda hoje acho que ele tem razão...

bela lugosi`s dead disse...

Porrada???onde, onde???
eheheh, :)

sapiens disse...

Em resposta ao Henrik... Por outro lado algo de fundamental que aprendi na Faculdade, é que a revolta pode querer dizer muitas coisas... a olhar para o mundo vim a confirmar essa realidade. Quem teima em não ouvir a revolta dos outros ve-se inevitávelmente a barços com o Ground Zero!

Saulus Lupus Lunae disse...

Revolta é revolta. Não tem vários significados, pode é ser aplicada a vários contextos. A revolta em si é um sentimento que origina (ou não, na maioria das vezes) uma série de comportamentos e pensamentos contrários àqueles que provocam a dita revolta. Agora, no que concerne a contexto, isso sim, há diversos.

Pouco Engraçado disse...

mas o que é que estes comentários têm que ver com este post? bem...
onde é que eu ia?...
ah! então fica aí sentadinho e não te mexas. xiiiu, caladinho que ninguém quer novidades. discutir?
não vende. é muito complicado. mais do mesmo oh sim! lições de faculdade? mais do mesmo! mais do mesmo! discutir com gente inteligente? - nada disso! tu não penses, compra merda, come relva, come gajas, come bifes que o primeiro arroto é oferta. viva a fotocópia! viva o caroço! vive o momento! até já!

Henrik disse...

Falar em revolta é correcto, mas tal como o Paulo penso que o contexto é tudo. E se vamos nós ceder à revolta dos outros vamos nós também ficar revoltados, e depois no fim há não um ground zero mas uma guerra civil...

sapiens disse...

As guerras civis no meu ponto de vista, acontecem quando têm de acontecer. Tal como todas as guerras, serão o ultimo reduto que muitas vezes existe quando se fazem ouvidos moucos ás queixas do outro, evitando-se discutir, negociar e conciliar necessidades ou pontos de vista. O resultado é históricamente o mesmo. Perdas para todas as partes.

O contexto é e será sempre a matriz da significação das coisas, e eu não consigo ver melhor contexto para a critica do tempo presente do que as plataformas do tempo presente. E nesta medida posso afirmar que não fui eu quem compos a bonita canção nem o escrito que lhe coloquei por baixo em estilo de legenda... apenas me limitei a recolher as manifestações presentes, elaboradas por pessoas do presente em análise á realidade que as circunda e muitas vezes as afecta.

Se a linguagem é a menos correcta... por alguma razão foi assim tecida, e se a subscrevo é porque pessoalmente não acredito que colocar a cabeça na areia, evitando falar de coisas políticamente incorrectas possa ajudar a resolver ou a menorizar o problema em questão.

... e voltando mais uma vez ao traquejo popular: "Há que pegar o touro pelos cornos!".

ch'an disse...

wtf jovem :-)

fui intensamente citada, brilhante!

mas vá, vou tentar prestar mais atenção futuramente.

saudações cordiais,
ch'an

PS - Faculdade.. LSD... é tudo bom! E como um outro poeta costumava dizer "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena".

sapiens disse...

Pena é que uma mensagem tão simples tenha de ter uma interpretação tão dificultada...