segunda-feira, 5 de março de 2007

Dificil comunicação: sociedade cientifica VS sociedade civil



















Na sequencia dos meus esforços para encontrar novos contactos para a realização de entrevistas sobre a temática das novas familias homosexuais e homoparentais decidi (se calhar ingénuamente) deixar espalhados por vários sitios na Web frequentados por pessoas LGBT uma breve explanação do meu trabalho e claro, o convite para quem quisesse contribuir com o seu depoimento.

Um dia passado e a unica mensagem que me chega ao correio eletrónico foi a de desagrado e claro mau entendimento do pretendido.


Passo a transcrever


" Olá R.L. (?!...)

Vi o teu anúncio no Terravista.

Não tenho nada contra a homossexualidade - até porque sou bissexual, mulheres e homens atraem-me.

Mas, ter visto um anúncio destes irritou-me.

Um estudo (????) para ser uma "arma" científica (????) e política. Mas que raio de ciência é esta. Tu, a priori já tens as conclusões tiradas ?!...Ou não é assim ? Vias fazer um estudo para provar um pressuposto de partida - ese as hipóteses não se confirmarem ? o que fazes ? arranjas outras ?Que vergonha ! É por estas e por outras que muitas vezes os verdadeiros estudos são postos em causa.É só ! Queria apenas apelar ao seguimento de critérios rigorosos e científicos e de verdadeira objectividade na investigação.Isto só põe em causa o bom nome da ILGA.

ASS: X "



ao que respondi:



"Olá X

Tal como tu , também não tenho nada contra a homosexualidade - até porque sou heterosexual mas não heterosexista.

Sinceramente não compreendo porque te irritou o meu anuncio. Eu referi-me a "arma" cientifica no sentido de lutar contra o preconceito ainda preponderante na nossa sociedade. Se de facto acreditas que ele está superado deverias de reconsiderar...

Quanto á palavra cientifica , referi-me a ela por acreditar que não háoutra forma de explicar ás pessoas uma realidade normal que elas concebem como anormal e diabolizam sistemáticamente.. aliás é este um dos objectivos da ILGA.

Quanto ao facto da politca, se não consideras pertinente , eu sinceramente não consigo ver outra forma de negociar poderes e direitos dentro de uma sociedade..

Quanto á pertinencia do próprio estudo não se trata de andar a trataras pessoas como animais de laboratório, nada disso, mas sim deprocurar dar vóz a quem na sociedade por ser minoria e mais do que isso, ser minoria discriminada em muitas dimensões, não possui muitas vezes essa oportunidade.

Posso dizer-te que estou de consciencia plenamente tranquila no que respeita ás minhas intenções... posso dizer-te igualmente que não tenho quaisquer conclusões tiradas mas tenho uma crença e é ela que me leva a gostar de realizar o trabalho que estou a fazer.

Nisto tudo só me incomoda saber que afinal podem existir pessoas que suspeitam de tudo e de todos e colocam levianamente (quem sabe a sua) má fé no trabalho dos outros...

R.L"

1 comentário:

bela lugosis dead disse...

Com efeito é necessária uma certa dose de consciência reflexiva para se decifrar mensagens, por outro lado constata-se que existe sempre a possibilidade de nalguns casos o preconceito ser alimentado de dentro. Outro aspecto que julgo pertinente realçar é mais uma vez o desconhecimento generalizado do que é a Antropologia, bem como da sua ética, razão pela qual criámos este blog, apesar da reduzida adesão de colegas, que no entanto, se queixam, muitos deles, das parcas saídas que se oferecem àquilo que fazemos...mas pronto...contra factos não há argumentos. Continua o teu caminho, acreditando no que fazes.